tsevelelogo

terça-feira, 07 setembro 2021 16:47

Inhame ou Madumbe: um tubérculo, um alimento, uma fonte de “vida”

Inhame ou Madumbe Inhame ou Madumbe

O Inhame ou Madumbe é uma planta herbácea da família das aráceas, que produz rizomas tuberosos comestíveis, isto é produz o tubérculo ao qual chamamos pelos mesmos nomes. A literatura aponta que o inhame teve a sua origem na Ásia, concretamente na índia e consumido pelo povo Hindu. Quatro séculos depois, outros povos também começaram a consumir. Foi então que espalhou-se para a América através da África e vem sendo cultivado há mais de 2400 anos na Índia e há mais de 2000 anos no Egipto.

Sem registos disponíveis da sua entrada em Moçambique, o inhame ou madumbe é produzido e consumido um pouco por todo o país, mas com maior predominância nas províncias centrais de Sofala, Manica e Zambézia.

O termo Inhame tem várias interpretações ou explicações. Primeiro, entende-se que o mesmo seja de origem Africana, nyame (comer), que se aplica a vários tubérculos, também designados por taro, colca oualcoca, peró ou perem (Índia Portuguesa), micoco e nhami (São Tomé), dikamba (Angola), genebra (Guiné), etc.

Outra corrente explica que a palavra Inhame parece ser a tradução dos termos “Yam” ou “igname”, utilizados originalmente nas colónias inglesas e francesas de África. Na África e na América do Norte é chamado taro, na América Central é ñame ou otoe, na França é igname, na Índia albi, no Japão sato-imo, no Caribe malanga ou yautia.

Quanto as suas características, a planta Inhame tem folhas grandes, alcançando até um metro de comprimento, peltadas, isto é, com a inserção do pecíolo no centro ou próximo do centro da lâmina foliar. Os pecíolos, frequentemente de mais de um metro de comprimento, partem directamente dos rizomas, logo acima da superfície do solo.

A literatura também aponta para a existência de vários tipos de inhame, que podem ser divididos em dois grupos, os comuns e Japonês, sendo os dois encontrados em Moçambique. Os inhames do tipo Japonês são superiores, produzem rizomas, ou túberas, ovoides, bem conformados e de melhor qualidade do que o comum. Muitos clones têm a polpa colorida, geralmente amarelada, avermelhada ou branca.

Para além do seu sabor peculiar e único, o inhame ou madumbe tem alto valor nutritivo. Possui proteínas, sais minerais, vitaminas e outros, com a função de construir e preservar os tecidos do corpo; formação das moléculas de Adenosina Trifosfato (ATP), melhorando a resistência e diminuindo a sensação de fadiga. Além disso, o mesmo aumenta os níveis de glóbulos vermelhos no sangue, quadro que a sua falta leva à anemia, fornecem energia para a sobrevivência das células. O inhame tem poderes preventivos e curativos. Pode-se citar como exemplo, a prevenção de doenças cardiovasculares, limpeza do sangue, fortalecimento do sistema imunológico, prevenção da malária, febre-amarela, desinflamação das cicatrizes, eliminação do sangue pisado de contusões, abcessos e tumores.

As receitas de inhame variam de região em região, podendo ser simplesmente cozido em água e sal, frito em rodelas, amassado para obter farinha, e ainda misturado com outros ingredientes.

EM/TT/0921

Anuncie