tsevelelogo

terça-feira, 31 maio 2022 18:13

Matoritori: um sabor que supera a sua simplicidade

Matoritori Matoritori Vanila Amadeu

Matoritori é um doce caseiro de sabor único, feito à base de coco, muito comum um pouco por todo o país, sobretudo em províncias onde abunda o coco, como é o caso de Zambézia e Inhambane, e é bastante consumido na cidade e província de Maputo.

José Fernando, ou simplesmente Zezito, é um chefe de cozinha bem experimentado na área de produção de sobremesas de todos os tipos e não só, e hoje vai partilhar a sua experiência com matoritori.

Zezito explica que para se fazer o matoritori são necessários dois cocos médios e uma chávena de açúcar. Em um fogo médio coloca-se um tacho antiaderente (ou simplesmente frigideira) “porque facilita na remoção do conteúdo”, refere o nosso entrevistado, para além de ajudar na mistura dos ingredientes. Coloca-se então uma chávena de açúcar branco ou castanho. A preferência do tipo de açúcar depende do aspecto final desejado no fim, mais solto ou grudado, em que se serve de açúcar branco ou castanho respectivamente. “Quem não gosta de alimentos muito doces pode servir-se do açúcar branco, pois é mais leve”, acrescenta José Fernando.

Depois de colocar o açúcar no tacho mexe-se até caramelizar. A seguir adiciona-se o coco, ralado, mas não coado, e mexe-se até que fique uma mistura homogénea,  com o tacho ainda no fogo “porque caso contrário o açúcar seca antes de se completar a mistura” Deve-se assegurar  que o fogo esteja na intensidade média que é para o conteúdo atingir o ponto de cozedura lentamente.

Tira-se então o conteúdo do tacho e coloca-se numa bandeja, de preferência metálica, que é para facilitar a retirada da mistura a posterior. Alisa-se com ajuda de uma colher de pau e reparte-se aos pedaços enquanto ele ainda estiver  húmido para facilitar o processo. Este deve depois ser levado a secar à luz do sol. Depois de bem seco, já está pronto para o consumo.

Um toque diferente por acrescentar

Há maneiras criativas e inovadoras que Zezito explica sobre como se pode preparar o matoritori. Estas implicam colocar corantes comestíveis em gel de qualquer cor que se pretenda, junta-se então ao tacho. Esta é uma opção bem oportuna para quem pretenda alegrar os olhos das crianças em festas infantis e não só. “Deve-se ter cuidado no momento de escolha de corantes, pois existem os pirateados que podem prejudicar o alcance do resultado desejado, para além de prejudicar a saúde”, alerta o nosso entrevistado. Pode-se inclusive fazer formatos diversos com o matoritori com pequenas formas de modo a torná-lo mais convidativo para o consumo.

Matoritori como sobremesa?

O matoritori pode ser consumido em qualquer ocasião, mas Zezito partilha que costuma servir-se deste doce como sobremesa depois do consumo de qualquer prato típico local, sobretudo quando se tratar de uma verdura como hortaliça de abóbora a coco e amendoim, matapa, ou outra qualquer, afinal “se começamos na África terminamos na África (risos)”. Acompanhado de uma bola de sorvete, o matoritori quando é deixado mais soltinho é uma opção de lamber os beiços.

Este pode ser conservado, se bem seco, por até três dias. Já o húmido, se passa por dois dias liberta gordura e fica com sabor de copra.

Escrito por Vanila Amadeu para Tsevele

Anuncie