tsevelelogo

terça-feira, 19 julho 2022 19:49

O provável mais antigo templo dominical de Moçambique

Igreja Nossa Sra. dos Remedios Igreja Nossa Sra. dos Remedios Ganito Bantaleão

Localizado no distrito de Mossuril, província de Nampula, a actual Igreja de Nossa Senhora dos Remédios é o provável mais antigo templo dominical de Moçambique. A Igreja possui portas esculpidas num maravilhoso estilo indiano, que anunciam a entrada num lugar especial. O interior da igreja surpreende-nos com um grandioso e majestoso altar, dourado, todo esculpido, e com algumas peҫas religiosas. E ao lado da igreja encontra-se o poço de Vasco da Gama, que foi proclamado Relíquia Histórica pela portaria nº 17 786, de 9 de Maio de 1964. O histórico poço da Cabaceira Pequena foi aquele que, segundo os cronistas da época, os marinheiros da armada de Vasco da Gama foram buscar água para as naus das descobertas em demanda da Índia, quando o grande Almirante esteve em Moçambique em Março de 1498. Da escaramuça para a obtenção da água desse poço constam que morreram três marinheiros do Gama.

A sede do distrito de Mossuril dista cerca de 40 quilómetros da Ilha de Moçambique e os turistas que demandam a primeira cidade capital de Moçambique, deslocam-se ao continente para conhecerem outros traços da colonização portuguesa e da influência da civilização árabe, patentes nas chamadas Cabaceiras pequena e grande.

Segundo José Manuel Fernandes, a Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, trata-se do edifício inicial, erigido pelo governador D. Pedro de Castro, em 1579, era da invocação de Nossa Senhora do Rosário. A obra actual, de invocação de Nossa Senhora dos Remédios, restaurada em 1767, muito reparada em 1854, foi classificada em 1943.

José Manuel Fernandes acrescenta que esta igreja possui uma expressão inconfundível, de rara beleza - por um lado pelo átrio, alpendre ou galilé coberta, aquadradada, que antecede a nave, com dois espessos arcos redondos em cada lado; e por outro, pela fachada "falsa" (avançada e com duas torres sineiras, erigida sobre a parte frontal do alpendre). Essa frontaria define uma varanda sobre a cobertura do alpendre, protegida com duas balaustradas laterais, e está profusamente decorada com relevos de inspiração indo-portuguesa semelhantes, por exemplo, aos da Igreja de Dauli (1583), na área envolvente de Baçaim.

No interior encontrava-se, segundo Cagigal e Silva, "um retábulo de talha dourada indo-português no altar-mor", o qual, em conjunto com o púlpito da capela do Palácio de São Paulo e o retábulo em talha da Igreja de Nossa Senhora da Saúde, ambos na Ilha de Moçambique, constituíam, na opinião daquela autora e museóloga, as três mais qualificadas e preciosas peças de arte decorativa em contexto arquitectónico desta região.

Parece não existir evidências claras que demostram que realmente a Igreja de Nossa Senhora dos Remédios seja o provável mais antigo templo dominical de Moçambique, isto porque, segundo o Gabinete de Conservação da Ilha de Moçambique, abreviadamente designado por GACIM (2008), na sua obra Ilha de Moçambique e os Monumentos que marcam a História, a Capela Nossa Senhora de Baluarte foi construída em 1522, a mando do Dom Pedro de Castro, quando sua tripulação passou o inverno na Ilha. Está anexa a Fortaleza São Sebastião.

A Fortaleza de São Sebastião, foi construída para fins militares. Esta, ocupou uma posição estratégica nas rotas marítimas entre a Europa e a Índia (rota de Cabo) especialmente durante os sécs. XV, XVI e XVII. É o Monumento Histórico mais importante da costa Moçambicana e umas das maiores construções militares existente em África. As obras de construção iniciaram em 1558 e concluídas em 1620. A Fortaleza de São Sebastião está assente sobre uma rocha em contacto com o mar pelos lados Norte, Leste e Oeste. Esta posição estratégica garantiu a que as incursões de piratas do mar não conseguissem penetrar na Ilha.

 

Um pouco sobre a Fortaleza de São Sebastião

A Fortaleza de São Sebastião Tem quatro baluartes, designadamente, São João, Nossa senhora, São Gabriel e Santa Bárbara. Os dois últimos estão virados para a terra, protegendo a porta primitiva da fortaleza. O traçado do baluarte de São Gabriel é o maior de todos, com 24 canhões. A cobertura da fortaleza recolhe toda água da chuva e canaliza para a cisterna central, água que várias vezes permitiu a que os militares e a população se mantivessem durante vários meses no cerco.

Assim percebe-se que a capela Nossa Senhora de Baluarte foi construída em 1522 e é uma das edificações mais antigas da Ilha de Moçambique e, segundo as fontes, é a primeira igreja construída em África pelos Portugueses. Antes da construção da fortaleza, ela serviu de defesa da Ilha. Ela só é acessível pelo interior da mesma fortaleza.

No seu interior, encontram-se túmulos de São Sebastião de Morais, Sacerdote português, primeiro Bispo do Japão, falecido em 1588, e, na parte direita do altar, o do Dom António de Castro, falecido em 1557.

Escrito por Ganito Bantaleão para Tsevele

Anuncie