tsevelelogo

terça-feira, 25 julho 2023 15:22

Nkompe ou nikho: a mais antiga concha macua

Nkompe, em Emakhuwa-Enahara, é uma concha feita de casca de coco (cafurro) e um pauzinho. Em toda a província de Nampula há variedades deste utensílio diferenciadas pela matéria-prima e a denominação, que variam de acordo com a região. Mais para o interior, por exemplo, encontra-se a concha totalmente de madeira, chamada eyope.

Segundo a história, antes da invenção de talheres as mulheres enfrentavam dificuldades na hora de servir as refeições, tendo que cozinhar em diferentes panelas a mesma comida para os homens, mulheres e crianças. Como consequência, os homens reclamavam constantemente devido à morosidade desse processo.

Foi assim que surgiu nkompe, considerada a mais antiga concha na sociedade macua do litoral e que veio aliviar o sofrimento e flexibilizar o trabalho culinário das mulheres. 

Hoje, porém, com o aparecimento de conchas “modernas” de plástico, alumínio ou aço, nkompe, no norte do País em especial, é usada mais nas mesquitas, para tirar água dos tanques antes das orações diárias. É utilizada também durante cerinómias islâmicas do Ramadan e de Eid ul-Fitr, a fim de servir papas e outras refeições.

No distrito de Ilha de Moçambique, no quotidiano, nkompe é usada por vendedeiras de comida com a finalidade de servir papa de arroz e coco, chamada mahadza.

Nkompe é a única opção nas comunidades distantes das cidades ou vilas, em que não existem barracas e as condições financeiras são precárias. Ikompe (no plural) são encontradas à venda um pouco por todos os cantos da Cidade da Ilha, constituindo atracção para turistas nacionais e estrangeiros.

De salientar que a casca de coco, além de matéria-prima no fabrico de nkompe, com ela são manufacturados vários artigos domésticos como copos, candeeiros, instrumentos musicais, etc.

Escrito por Emanuel Mahira para Tsevele

Anuncie