tsevelelogo

terça-feira, 08 dezembro 2020 20:05

Aphwiamwene: a figura da Rainha nas sociedades matrilineares Moçambicanas

Matrilinearidade é uma classificação ou organização de um povo, grupo populacional, família, clã o linhagem em que a descendência é contada em linha materna. Trata-se de um conceito muito importante nas sociedades makhwas do norte de Moçambique, onde a liderança e poder na família é exercido pela mulher e especialmente pelas mães de uma comunidade, as chamadas Aphwiamwenes, em língua emakhwa.

Ainda em língua emakhwa, estas comunidades são chamadas de nloko e agrupadas em clã/s ou tribo/s ou mahimo/s, que por sua vez são regidas pelas aphwiamwenes de cada clã. Este processo de regência e gestão do poder é acompanhado por um homem, que normalmente é o irmão ou sobrinho mais velho da rainha ou aphwiamwene. Esta figura que se ocupa no ofício de auxiliar da Rainha ou Aphwiamwene designa-se Amwene ou Ahumu, o que significa homem de respeito, inteligente, educado e instruído em todas as práticas mágico-tradicionais, relacionadas à comunidade e sua clã.

As Aphwiamwenes são consideradas símbolo de poder, honra, e às vezes endeusadas, visto que na sua maioria, possuem poderes mágicos e supersticiosos, mistérios do oculto e até chegam a adivinhar por meio da possessão de espíritos adivinhos dos antepassados ou minepas. Elas são figuras misteriosas e de grande reverência nas sociedades matrilineares do norte de Moçambique, especialmente nas províncias de Nampula e Cabo delgado.

Nestas sociedades matrilineares, as Aphwiamwenes são símbolo de coesão, esperança, são bibliotecas vivas para a consulta de vários assuntos ligados à comunidade; são as juízas, elas é que julgam e e tomam as decisões finais e dos assuntos mais importantes das suas famílias e/ou comunidades.

Entre os problemas sob jurisdição das aphwiamwenes destaca-se adultério ou olúvaa, questões ligados à feitiçaria, abuso ou pejororação à rainha, agressões física, seja contra homens ou mulheres, os quais são tratados com muita severidade e com castigos muito rígidos e multas muito altas. Segundo as práticas locais, aos infractores que não puderem pagar o valor da multa lhes são atribuídas penas alternativas como prestação de serviços sociais dentro da comunidade.

Portanto, ser uma rainha ou aphwiamwenem nas sociedades matrilineares em Moçambique é sinónimo de poder, respeito, brazão, soberania, exemplo ou modelo de vida para as famílias

Escrito por Emanuel Mahira para Tsevele

Anuncie