tsevelelogo

Alvo Ofumane

Alvo Ofumane

Maulide  é uma dança tradicional nativa da zona norte do país, na província de Nampula, com maior predominância na Ilha de Moçambique, de onde surgiu há cerca de 82 anos, mais ou menos entre a segunda metade do século XIX e o início do XX bem antes das outras expressões musicais e dançantes, como o dtiqiri e o tufo. Acredita-se que a mesma tenha chegado no norte de Moçambique pelas mãos de habitantes das Ilhas Comores, Madagáscar e Zanzibar que faziam parte das redes internacionais de comércio, mas envolviam também um caráter religioso, baseado na expansão da religião islâmica por meio de três confrarias sufis: Rifa'Iyya, Shadhiliyya e Qadiriyya.

A dança Macarita é originária de Inhambane, na Cidade da Maxixe, a considerada capital económica da província. A coreografia é exibida por homens e mulheres, sendo que os homens fazem o papel de instrumentistas de batuques e outros de trombetas. Eles também tocam instrumentos aerófonos, fabricados rudimentarmente de simples chapas em forma de funis cónicos. Estes instrumentos não produzem sons próprios senão a transformação da voz do cantor. As mulheres, por sua vez, dançam e cantam acompanhando o ritmo dos instrumentos. Estas também tocam apitos, guizos e nalgumas vezes batem palmas que também são uma das partes do repertório na música.

Moçambique apresenta um vasto mosaico gastronómico que se estende de sul a norte. Em cada uma das regiões encontramos diferentes propostas, típicas de cada comunidade. Algumas semelhanças ao longo do país são encontradas entre estas iguarias localmente originárias.

Localizado no distrito de Mossuril, província de Nampula, a actual Igreja de Nossa Senhora dos Remédios é o provável mais antigo templo dominical de Moçambique. A Igreja possui portas esculpidas num maravilhoso estilo indiano, que anunciam a entrada num lugar especial. O interior da igreja surpreende-nos com um grandioso e majestoso altar, dourado, todo esculpido, e com algumas peҫas religiosas. E ao lado da igreja encontra-se o poço de Vasco da Gama, que foi proclamado Relíquia Histórica pela portaria nº 17 786, de 9 de Maio de 1964. O histórico poço da Cabaceira Pequena foi aquele que, segundo os cronistas da época, os marinheiros da armada de Vasco da Gama foram buscar água para as naus das descobertas em demanda da Índia, quando o grande Almirante esteve em Moçambique em Março de 1498. Da escaramuça para a obtenção da água desse poço constam que morreram três marinheiros do Gama.

Moçambique é um país com uma vastidão de pratos exóticos, característica que se aplica a todas comidas tipicamente locais. Esta riqueza distribui-se sem excepção por todo o país, onde cada tribo tem sempre uma proposta marcante para oferecer àqueles que se dão o privilégio de experimentar as delícias locais. Tudo isto só é possível graças aos inúmeros recursos agrícolas produzidos em cada região, resultante do bom clima que o país oferece. Entre eles está o milho.

Entende-se por ritos de iniciação como um conjunto de práticas pelas quais se inicia alguém á vida adulta tendo em observância os mistérios de uma dada região e cultura. Além da educação da família e do grupo, o rito de iniciação tem um papel preponderante na instrução e educação dos adolescentes. Geralmente, esta cerimónia é realizada para marcar a transição da adolescência para a juventude.

Owani onamuli, assim dizem os povos Amakhuwas, que traduzido para Português significa “Namuli é a nossa casa”, neste caso, o Montes Namuli. Várias fontes orais e algumas escritas, por exemplo, o Centro de Estudos Moçambicanos e Tecnociências da Universidade Pedagógica de Maputo, referem que é nas grutas do Namúli que a história/mitologia situa as origens dos povos Makhuwa e Lomwé, de onde se irradiaram, povoando partes consideráveis das actuais províncias da Zambézia, Nampula, Niassa, Cabo Delgado, e a fracção oriental da República do Malawi. Estes povos prestam vénia às “divindades” das grutas dos Montes Namúli, o que justifica a referência ao Namúli nas preces, rituais, na invocação aos antepassados, e em outras práticas do quotidiano.

terça-feira, 21 junho 2022 14:26

Ka Mussosso: o mítico canal da vitória

"Ka Mussosso" é uma zona no mar, entre a zona continental que compreende a cidade de Vilankulo e a Ilha de Magarruque. O canal de Mussosso foi popularmente conhecido devido ao seu papel durante as lutas contra invasores, desde os Nguni, árabes até aos portugueses.

terça-feira, 14 junho 2022 19:43

Caracol: uma proposta exótica e aliciante

Os caracóis são moluscos gastrópodes terrestres de concha espiralada calcária, pertencentes à subordem Stylommatophora, que também inclui as lesmas. São animais com ampla distribuição ambiental e geográfica, respiram através de um poro respiratório. Em Moçambique, este molusco é predominante em todos os cantos do país, e é utilizado como uma opção ou ingrediente para a gastronomia e o uso cosmético tanto em Moçambique, assim como em vários cantos do mundo.

Há muito, muito tempo, o Gato era um animal selvagem, e acredita-se mesmo que este era um animal muito feroz. Nessa altura, ele não tinha amigos e andava sozinho na selva. O tempo foi passando e ele continuava isolado, foi então que decidiu procurar o seu melhor amigo dentro da selva, mesmo não conhecendo o comportamento de nenhum dos animais ali existentes.

Pág. 1 de 13
Anuncie