tsevelelogo

Alvo Ofumane

Alvo Ofumane

Entende-se por ritos de iniciação como um conjunto de práticas pelas quais se inicia alguém á vida adulta tendo em observância os mistérios de uma dada região e cultura. Além da educação da família e do grupo, o rito de iniciação tem um papel preponderante na instrução e educação dos adolescentes. Geralmente, esta cerimónia é realizada para marcar a transição da adolescência para a juventude.

Owani onamuli, assim dizem os povos Amakhuwas, que traduzido para Português significa “Namuli é a nossa casa”, neste caso, o Montes Namuli. Várias fontes orais e algumas escritas, por exemplo, o Centro de Estudos Moçambicanos e Tecnociências da Universidade Pedagógica de Maputo, referem que é nas grutas do Namúli que a história/mitologia situa as origens dos povos Makhuwa e Lomwé, de onde se irradiaram, povoando partes consideráveis das actuais províncias da Zambézia, Nampula, Niassa, Cabo Delgado, e a fracção oriental da República do Malawi. Estes povos prestam vénia às “divindades” das grutas dos Montes Namúli, o que justifica a referência ao Namúli nas preces, rituais, na invocação aos antepassados, e em outras práticas do quotidiano.

terça-feira, 21 junho 2022 14:26

Ka Mussosso: o mítico canal da vitória

"Ka Mussosso" é uma zona no mar, entre a zona continental que compreende a cidade de Vilankulo e a Ilha de Magarruque. O canal de Mussosso foi popularmente conhecido devido ao seu papel durante as lutas contra invasores, desde os Nguni, árabes até aos portugueses.

terça-feira, 14 junho 2022 19:43

Caracol: uma proposta exótica e aliciante

Os caracóis são moluscos gastrópodes terrestres de concha espiralada calcária, pertencentes à subordem Stylommatophora, que também inclui as lesmas. São animais com ampla distribuição ambiental e geográfica, respiram através de um poro respiratório. Em Moçambique, este molusco é predominante em todos os cantos do país, e é utilizado como uma opção ou ingrediente para a gastronomia e o uso cosmético tanto em Moçambique, assim como em vários cantos do mundo.

Há muito, muito tempo, o Gato era um animal selvagem, e acredita-se mesmo que este era um animal muito feroz. Nessa altura, ele não tinha amigos e andava sozinho na selva. O tempo foi passando e ele continuava isolado, foi então que decidiu procurar o seu melhor amigo dentro da selva, mesmo não conhecendo o comportamento de nenhum dos animais ali existentes.

Matoritori é um doce caseiro de sabor único, feito à base de coco, muito comum um pouco por todo o país, sobretudo em províncias onde abunda o coco, como é o caso de Zambézia e Inhambane, e é bastante consumido na cidade e província de Maputo.

Makwai é uma dança tradicional originária do sul das províncias de Sofala (Machanga, Buzi e Chibabava) e Manica (Machaze, Mussorize e Sussundenga) com o povo Ndau. A dança é também é praticada nos distritos de Mambone e Inhassoro, na província de Inhambane. Mais tarde, Ngungunhana e seus guerreiros levaram a dança de Goi-Goi no distrito de Mossurize em Manica, para a província de Gaza, quando instalaram a base do Império de Gaza no distrito de Mandlakazi, e foi aqui de onde surge a variante Makwaiela, dançada fundamentalmente no sul de Moçambique.  Na província de Sofala, a forma de dançar Makwai varia de distrito para distrito, mas há  passos identitários da dança, os chamados passos de base, que também acontecem na dança Utsi.

No distrito de Muecate, no Posto Administrativo de Imala, província de Nampula, existe um centro de adoração colectiva dos antepassados, designado WAPUIYAMUENE. Este é um lugar muito concorrido pelos nativos, não só, mas também por pessoas de outras regiões, que vão apreciar o local devido a sua história e apelar para sorte na sua vida.

Pfundla ou NwaPfundla (em língua Citswa), ou simplesmente coelho, é tido nos contos tradicionais Africanos como o animal mais astuto, o que vem realçado em diversas fábulas. Neste texto, trazemos algumas das mais populares fábulas presentes na tradição oral Moçambicana.

terça-feira, 03 maio 2022 18:55

Mbéua, uma iguaria exótica e sem igual

O mbéua é um tipo de rato consumido nas províncias de Sofala e Manica. O Termo mbéua é utilizado para diferenciar o rato do campo (o comestível), do rato “do lixo” ou o rato vulgar predominante nas casas, denominado txírua na língua Cisena (ou Sena) que não é comestível. Para além do nome, a outra distinção entre os ratos comestíveis e não comestíveis é o seu aspecto físico, o txírua é mais volumoso que o rato mbéua, e é um pouco mais castanho.

Pág. 2 de 13
Anuncie