tsevelelogo

Alvo Ofumane

Alvo Ofumane

Xibaba ou xingyandza é um bolo fabricado a partir de mapira, predominantemente produzido e consumido nos distritos central e setentrionais de Massinga, Vilankulo e Inhassoro, e um pouco pelos distritos de Mabote e Funhalouro, todos na província de Inhambane.

É um dos cartões de visita mais emblemáticos e requisitados da Ilha de Moçambique, graças à sua estrutura arquitectónica única. Porém, o que muitos não sabem é que o edifício do actual Tribunal Judicial da Ilha de Moçambique serviu nos seus primeiros anos como a primeira escola primária “oficial” de Moçambique. O mesmo está localizado na Província de Nampula, distrito da Ilha de Moçambique na zona insular, Bairro Museu, Rua Pedro Alvares.

 Remédio de lua é um medicamento tradicional dado à criança nos primeiros meses de vida, pois acredita-se que o mesmo protege o bebé de ataques epilépticos. O nome “remédio de lua” deriva da crença ou do conhecimento de que durante as fases de transição da lua algumas crianças têm ataques epilépticos, que para o seu tratamento usa-se o remédio em questão. A prática é comum na região Sul de Moçambique, que abrange as províncias de Maputo Gaza e Inhambane, mas também verifica-se na região Centro do país.

sexta-feira, 13 agosto 2021 18:47

Cabeça do velho: um monte, vários mitos

Há quatro quilómetros a norte do centro da cidade de Chimoio, na província de Manica, centro de Moçambique, localiza-se mais uma atracção natural de grande importância social e cultural, denominado monte "Cabeça do Velho".

Otheka, phombe ou mukhodo é uma cerveja tradicional produzida e consumida um pouco por todo o país, com pequenas variações da receita, de acordo com a região onde ela é produzida. No norte de Moçambique é designada otheka; no centro do país é chamada phombe, e no sul de Moçambique é conhecida por mukhodo. A bebida é preparada através da fermentação da farinha de mandioca, designada karacata no norte de Moçambique, e da farinha de mapira.

sexta-feira, 06 agosto 2021 12:18

Molina: da singularidade ao status

Molina é um alimento consumido um pouco por todo o país, sobretudo na região sul de Moçambique, local onde mais se produz a farinha de mandioca a tapioca ou rhale, um dos seus principais ingredientes. Outros ingredientes incluem o amendoim seco ou castanha de caju torrados, açúcar e sal ao gosto.

No distrito de Morrumbala província da Zambézia, 230km da cidade Quelimane, uma atracção natural chama atenção dos nativos e dos visitantes, trata-se de uma montanha supostamente com “porta” de acesso ao interior da montanha. A montanha é denominada Txutxi.

Ekharau ou Ekharaua em língua emakhuwa, é o piercing de nariz usado pelas mulheres makhuwas ou muthiana oreras de Nampula, Cabo- Delgado e Niassa, na sua maioria muçulmanas. Considerado um dos adornos mais preciosos e apreciados no seio das mulheres makhuwas, o Ekharau ou Ekharaua é de origem indiana. Foram as mulheres Indianas que pela primeira vez trouxeram os primeiros piercings ou Ekharaus nas zonas litorais do norte de Moçambique, principalmente nas nos distritos costeiros de Angoche e Ilha de Moçambique.

As sociedades Africanas sempre tiveram formas próprias de interpretação dos fenómenos naturais, um conhecimento que deriva de cada grupo etno-linguístico. Embora marginalizado e até diabolizado por vários séculos, a favor de abordagens científicas convencionais eurocentristas ou ocidentais, este conhecimento ainda prevalece em várias comunidades Moçambicanas.

Achar (por vezes pronunciado atxar em algumas regiões de Moçambique) é nome de uma receita de molho de piripiri, preparado em algumas províncias do país, famoso pela mistura de frutas e outros ingredientes exóticos, o que o torna um dos principais temperos presentes na mesa da família Moçambicana.

Pág. 6 de 13
Anuncie